Alergia em Foco O que você precisa saber sobre como as vacinações funcionam


dez

10

2014

O que você precisa saber sobre como as vacinações funcionam

O objetivo de uma vacinação é apoiar o sistema imunológico do organismo e tornar a pessoa vacinada imune à doença infecciosa correspondente. Contudo, isso exige um sistema de defesa extremamente complexo em funcionamento.  
A defesa do nosso próprio organismo é um sistema fascinante no qual uma grande variedade de órgãos funcionam juntos. A pele e as membranas mucosas formam a barreira protetora externa, enquanto o timo, o baço, a medula óssea, os linfonodos, o apêndice e as amígdalas apoiam o organismo formando e/ou transformando células sanguíneas e anticorpos específicos.
  O sistema imunológico – a polícia do organismo
Quando patógenos tais como bactérias, vírus, fungos ou parasitas tentam entrar no corpo humano, os leucócitos tentam torná-los inofensivos. Como a “polícia” do sistema imunológico, os leucócitos patrulham constantemente a corrente sanguínea, cercam os corpos estranhos, os absorvem e os decompõem. No seu trabalho, eles recebem ajuda de proteínas do sangue que atraem os leucócitos para os patógenos. O sistema imunológico divide o trabalho de defesa. Existe uma defesa não específica (geral) e uma defesa específica (contra patógenos muito específicos).
O sistema imunológico não específico bloqueia agressores prejudiciais…
O sistema imunológico não específico e seus mecanismos de defesa estão presentes desde o nascimento: As membranas mucosas nasais, por exemplo, incham no caso de resfriados comuns e produzem uma secreção que transporta germes de volta para fora do corpo. Os finos pelos do nariz também ajudam a transportar os menores corpos estranhos de volta para fora. Mecanismos de defesa similares atuam no estômago ou no intestino.
…  O sistema imunológico específico forma a força protetora que repele “ataques” adicionais
O sistema imunológico não específico nem sempre é bem-sucedido ao combater os patógenos sozinho. Quando, por exemplo, um grande número de patógenos ataca, ou quando eles são especialmente agressivos, o sistema imunológico específico também é ativado. Esse sistema está constantemente aprendendo e possui uma memória. Ele constantemente se desenvolve por toda a vida, sempre que o organismo entra em contato com novos patógenos. Caso os mesmos patógenos entrem no corpo de novo mais tarde, as células do sistema imunológico imediatamente produzem uma grande quantidade de anticorpos especializados que se ligam ao invasor. O sistema imunológico específico possibilita, portanto, que muitos patógenos conhecidos do organismo sejam combatidos muito mais rapidamente no caso de uma segunda infecção.
É por isso que adultos não mais adoecem com doenças da infância que tiveram quando eram pequenos – porque o corpo se lembra. As vacinações funcionam de acordo com o mesmo princípio. É por isso que as crianças se beneficiam especialmente das vacinações, uma vez que o seu sistema imunológico ainda não está tão desenvolvido quanto o de um adulto. Isso leva a proteção contra muitas doenças que podem causar complicações especialmente nas crianças. A vacinação leva ao desenvolvimento de imunização contra várias doenças infecciosas, uma proteção que às vezes dura décadas.
Vacinações: Apoio otimizado para o sistema imunológico
Várias espécies de vacinas estão disponíveis para desenvolver essa proteção imunizadora, e uma distinção é feita entre vacinas não vivas (vacinas inativadas) e vacinas vivas atenuadas:
Vacinas não vivas incluem as vacinas contra difteria, hepatite B, Haemophilus influenzae tipo B, Gripe, coqueluche e tétano. Essas vacinas somente contêm patógenos mortos que não podem mais proliferar ou contêm apenas componentes dos patógenos.
Vacinas vivas incluem as vacinas contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Essas vacinas ainda contêm pequenas quantidades de patógenos capazes de proliferação, mas que foram enfraquecidos a tal ponto que não podem mais causar a doença propriamente dita. Somente em casos muitos raros pode ocorrer uma doença branda induzida pela vacinação. Um exemplo é o sarampo induzido pela vacinação, que é uma erupção cutânea branda semelhante ao sarampo que pode ocorrer uma semana após a vacinação mas não é contagioso. 
Reações brandas à vacinação indicam que o corpo está reagindo.
No caso das vacinas modernas, complicações verdadeiras ocorrem somente muito raramente. Vermelhidão ou inchaço no local de injeção indicam que o corpo está reagindo à vacinação e devem, portanto, ser vistas como um sinal positivo. Dependendo da vacina, reações locais como essas ocorrem em aproximadamente 2 a 20% das pessoas vacinadas. Elas não são perigosas e desaparecem após alguns dias.
Em aproximadamente 1 a 10% das pessoas vacinadas, reações brandas e inofensivas tais como febre, dor de cabeça, dor nos membros, náusea ou diarreia podem ocorrer. Elas em geral desaparecem após dois dias.
As vacinas modernas usadas hoje contêm pouquíssimos traços mensuráveis de proteína de galinha. Assim, até mesmo pessoas alérgicas a proteína de galinha não apresentam reações alérgicas após tais vacinas. Contudo, informe o seu médico caso tenha alergia. Nesse caso, o médico poderá querer que você permaneça no consultório por alguns minutos adicionais após a vacinação.
As vacinas modernas são seguras e são constantemente aperfeiçoadas.
Quase todos os países possuem um sistema de monitoramento que registra complicações de vacinações mais graves do que as reações descritas acima, a despeito do fato de elas ocorrerem com frequência cada vez menor. Todas as suspeitas de reação anormal a vacinas são analisadas de maneira meticulosa e estudadas em sistemas de emissão de relatórios regulados por lei. Esses relatórios são avaliados de acordo com critérios acordados internacionalmente e definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Um sistema de defesa complexo e em funcionamento é necessário para a proteção contra infecções. Com as vacinações recomendadas no seu país, você pode se proteger contra doenças infecciosas e, ao mesmo tempo, ajudar outras pessoas que não podem ser vacinadas.
<< Voltar

Os comentários estão fechados.