Alergia em Foco Doença Meningocócica (um grave tipo de meningite)


nov

5

2014

Doença Meningocócica (um grave tipo de meningite)

A doença meningocócica se trata de um importante problema de saúde pública no mundo, com elevadas taxas de mortalidade tanto em países desenvolvidos (10%) e em desenvolvimento (50%), atingindo pessoas de todas as idades e sexos. No Brasil infelizmente, este índice ainda é bastante elevado, situando-se em torno de 18% a 20% nos últimos anos.
Causada pela bactéria Neisseria meningitidis, que está presente na nasofaringe de indivíduos normais (componente da flora residente na cavidade nasal), quando o microrganismo se espalha a partir da mucosa e invade a corrente sanguínea, se disseminando pelo corpo.
A doença é transmitida por meio de gotículas de secreção oronasal, sendo que o contágio ocorre entre indivíduo infectado (doente ou portador) e individuo susceptível, sem intermédio do ambiente (onde, via de regra, a bactéria não sobrevive).
As manifestações iniciais são febre alta, prostração, dor de cabeça, vômitos, aparecimento de pequenas manchas violáceas na pele (petéquias) que inicialmente são semelhantes às picadas de mosquitos, mas que rapidamente aumentam de número e de tamanho. Dor e dificuldade na movimentação do pescoço (rigidez de nuca) sinalizam para infecção do sistema nervoso, a meningite. Em crianças com menos de um ano de idade, as manifestações da meningite podem ser mais inespecíficas como febre, irritação e choro constante.
Pela imaturidade do sistema imunológico, crianças com menos de dois anos tendem a ter quadros infecciosos invasivos e mais graves, sendo a incidência da doença maior na faixa etária de lactentes e pré-escolares. Por conseguinte, o diagnóstico e tratamento precoce da doença são imprescindíveis para sua cura sem sequelas.
O agente bacteriano sobrevive melhor em clima seco, sendo os períodos de outono e inverno, no Brasil, os de maior incidência da doença, além de epidemias distribuídas durante todo ano, por mudanças de sorogrupos circulantes, alterando o padrão de infectados para pessoas mais velhas.
Para a prevenção da doença, a principal meio é a vacinação rigorosa das crianças segundo orientações de seu médico e do Ministério da Saúde, podendo complementar a imunização básica com a vacina meningocócica quadrivalente, que contempla mais três sorogrupos da bactéria conferindo maior proteção a quem recebe.
Autor: Eduardo Lenza Silva, Acadêmico de medicina da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.
<< Voltar

Os comentários estão fechados.