Alergia em Foco O aumento das alergias


nov

20

2017

O aumento das alergias

Na década de 80, cerca de 10% da população ocidental apresentava algum tipo de alergia. Hoje este número quase quadruplicou, atingindo 40%, sendo respiratórias, cutâneas, alimentares, medicamentosas, entre outras. Há várias hipóteses para este aumento e cada vez mais se fala na poluição, aquecimento global e nas mudanças ambientais como fatores essenciais. Soma-se ainda a industrialização e a mudança de hábitos de vida das pessoas nas últimas décadas.
As vias respiratórias, como o nariz e o pulmão, são as que dão o alerta quando afetadas pelos gases tóxicos. As pessoas também ficam mais suscetíveis às doenças alérgicas decorrentes da poluição conforme a faixa etária, condições fisiológicas, as deficiências nutricionais e as doenças pré-existentes.
Entendemos que a alergia é uma reação exagerada do sistema imunológico, que passa a reagir a fatores comuns como ácaros da poeira, proteínas de alimentos, medicamentos, entre outros, gerando doença. A consequência direta é o aumento do número de consultas ao médico, atendimentos de emergência, internações hospitalares, aumento do uso de medicamentos, faltas ao trabalho e à escola, diminuição da qualidade de vida e até mortes prematuras.
Atualmente, as pessoas passam boa parte do tempo dentro de casa, pelo acesso à tecnologia e conforto doméstico por um lado e aumento da violência urbana do outro. Além disso, as residências estão menores, menos arejadas, mais devassadas e com cortinas, carpetes e tapetes, aumentando o contato com o ácaro, o principal agente da alergia respiratória. Dentro de casa, os principais fatores são: a fumaça de cigarro e os poluentes biológicos, em especial os ácaros da poeira, mofos, epitélios animais, farelos de baratas, etc.
Os adultos permanecem mais tempo em recintos fechados, sobretudo no ambiente de trabalho. Edifícios selados, ventilados artificialmente por centrais de refrigeração, podem apresentar níveis elevados de poluentes químicos e biológicos. As crianças iniciam cedo nas creches, permanecendo nas escolas em horários integrais, diminuindo sua vida ao ar livre.
A asma e a rinite alérgica são doenças respiratórias e caracterizadas por um processo inflamatório crônico das mucosas das vias aéreas. Os poluentes do ar provocam ou acentuam uma inflamação, fazendo com que o indivíduo produza mais secreção e diminuem a ação dos mecanismos naturais para a sua eliminação, favorecendo o surgimento de crises.
Artigo publico em O Jornal Popular https://www.opopular.com.br/editorias/opiniao/opini%C3%A3o-1.146392/o-aumento-das-alergias-1.1387368

O que achou? Deixe um comentário.

comentários

<< Voltar

Os comentários estão fechados.